artigos


Aproveite para tomar contato com os artigos de Carlos Bernardo González Pecotche, criador da Logosofia.

Os demais artigos foram extraídos de trabalhos realizados por logósofos, com resultados alcançados na prática dos conhecimentos oferecidos por essa ciência.

Os artigos poderão ser reproduzidos livremente desde que sejam mencionados o nome da Fundação Logosófica, o site www.logosofia.org.br e o nome de seus autores.

Leis universais. Uma nova relação de causas e efeitos

Ao dar a conhecer os fatores que intervêm no que ocorre diariamente dentro do mundo interno de cada indivíduo, a Logosofia põe ao alcance do homem a chave do conhecimento causal referente à sua vida, evolução e destino. Não podem permanecer alheias a tal prerrogativa as leis universais, por serem as que sustentam os pilares da Criação e animam a vida de tudo quanto existe. É dever do homem não infringi-las e auspiciar, em todo o momento, o selo de seus desígnios, cumprindo com seus mandados, o que lhe outorga a segurança absoluta de seu amparo.
As leis sobre as quais a ciência oficial funda­menta suas investigações e descobrimentos surgi­ram da necessidade de ordenar o que concerne ao comportamento da atividade material ou física do organismo biológico humano e dos processos de toda espécie compreendidos na natureza, sujeitos a comprovação. Nada nos dizem com respeito às prerrogativas conscientes do homem, nem à evolução de suas possibilidades de alcançar as altas esferas do espírito.
As leis universais, sobre cujas funções a Logosofia informa, se identificam com as normas de uma ética elevada, acorde com sua natureza, cuja orientação coincide com a via de conhecimentos que, na ordem superior, o logósofo cultiva. Tais leis estabelecem uma nova relação de causas e efeitos, que permite compreender sem dificuldades o amplo panorama da existência humana, ao mesmo tempo que orientam e prescrevem normas de conduta para percorrer as sucessivas etapas do aperfeiçoamento.
Ao plasmar a imagem da criatura humana, Deus determinou para ela o cumprimento de todos os ciclos de evolução preceituados pelas leis supremas.
Convenhamos que as leis da Criação ainda são muito pouco conhecidas pela humanidade, já que, sendo elas advogados e juízes ao mesmo tempo, a maioria ignora como elas atuam e como ditam suas sentenças quando julgam. Ignorando isso, mal pode o homem conhecer os fatos de sua vida interna, capazes de ultrapassar, toda vez que uma lei se pronuncia em harmonia com as demais leis, suas mais fantásticas lucubrações.
Ao ilustrar o homem sobre o mecanismo das leis universais, a Logosofia lhe permite ajustar sua vida à realidade que elas determinam e livrar-se do vazio e da opressão moral causados por seu desconheci­mento. Começa a dominar, assim, o campo mais imediato em que essas leis atuam, que é precisamente o que cada ser ocupa, a própria vida, a vida do ser humano, e, por efeito do saber que acumula, aprende também que no Universo tudo se realiza mediante processos.
Ao plasmar a imagem da criatura humana, Deus determinou para ela o cumprimento de todos os ciclos de evolução preceituados pelas leis supremas. É lógico então que o homem, ao conhecer as leis e superar tudo o que nele é superável, vá compreendendo qual deve ser seu destino e qual sua conduta.
Trechos extraídos do livro O Espírito págs. 115 a 117
Cadastra-se Projeto Cultural