artigos


Aproveite para tomar contato com os artigos de Carlos Bernardo González Pecotche, criador da Logosofia.

Os demais artigos foram extraídos de trabalhos realizados por logósofos, com resultados alcançados na prática dos conhecimentos oferecidos por essa ciência.

Os artigos poderão ser reproduzidos livremente desde que sejam mencionados o nome da Fundação Logosófica, o site www.logosofia.org.br e o nome de seus autores.

Formação consciente da individualidade

A formação consciente da individualidade responde inexoravelmente aos altos fins da evolução do homem. Ninguém deixará de reconhecer o fato de que este sempre se ocupou exclusivamente de sua personalidade, quer dizer, de seu ser físico, de sua figura estética, de sua educação e cultura condicionadas com refinamento ao externo, buscando sempre a exaltação de seu conceito pessoal ante seus semelhantes. Ambição, vaidade, presunção, luzimento, renome, superficialidade, são alguns dos heterogêneos ingredientes constitutivos do ente pessoal. 

 
Muitos confundem o termo "personalidade” com dignidade senhoril, autoridade moral, prodígio nas letras, nas artes ou no próprio saber, sem se advertirem de que a grandeza de alma jamais pode abrigar-se na pequenez insuportável da mesquinha personalidade humana.
 

A individualidade é, ao contrário, fruto da evolução,

do cultivo constante das qualidades morais e psicológicas latentes no ser

 
quando se forma conscientemente, é o espírito mesmo emergindo do interior da própria existência.
 
O processo de evolução consciente, instituído pela Logosofia para o desenvolvimento das energias potenciais do ser, determina como imperiosa a formação de seu ente individual, a fim de que substitua vitorioso a personalidade, que é a que impede, por sua impermeabilidade psicológica, toda tentativa de transformações positivas e transcendentes que tendam à sua anulação. Visa, além disso, o robustecimento da individualidade, que é, em definitivo, o verdadeiro ente humano e espiritual da espécie.
 
Não é possível levar a bom termo a formação consciente da individualidade, se antes não se coloca, ante a própria razão, a necessidade impostergável de promover uma franca revisão de conceitos. Começa desde o instante em que o homem percebe que sua vida teve para ele um caráter meramente externo, e resolve vivê-la dentro de si mesmo. É a única maneira de chegar até a própria consciência e saber o que há nela, ou seja, o que foi capaz de acumular em saber, em experiência e em valores morais.
 
Se alguém descobre que seus recursos internos são insuficientes para enfrentar a empresa de seu aperfeiçoamento, nada lhe resultará tão grato e auspicioso quanto saber que a Logosofia lhe permitirá suprir essa falta de previsão, oferecendo-lhe generosamente todos os elementos que sua inteligência necessite para alcançar, no momento devido, o pleno desenvolvimento de aptidões superiores.
 
A antropogênese psicológica começa com o indivíduo que pensa, age e se move por impulso de suas energias internas. É preciso saber que a personalidade ganhou império ao avançarem as civilizações em seus refinamentos culturais, provocando o eclipse da individualidade, que foi suplantada pela figuração, isto é, pelo conceito exaltado da própria pessoa. A Logosofia é, justamente, a especialidade científica e metodológica que se ocupa da reativação consciente do indivíduo.

 

Texto extraído do Livro Curso de Iniciação Logosófica, par. 88 a 97
Cadastra-se Projeto Cultural