artigos


Aproveite para tomar contato com os artigos de Carlos Bernardo González Pecotche, criador da Logosofia.

Os demais artigos foram extraídos de trabalhos realizados por logósofos, com resultados alcançados na prática dos conhecimentos oferecidos por essa ciência.

Os artigos poderão ser reproduzidos livremente desde que sejam mencionados o nome da Fundação Logosófica, o site www.logosofia.org.br e o nome de seus autores.

A responsabilidade dos pais

Ao se sentirem responsáveis em sua sagrada missão e se compenetrarem de que, ao dar vida a um ser, ofereceram a uma alma a oportunidade de evoluir, os pais se esforçam em criar para os filhos o ambiente sadio e cheio de pureza que flui de suas mentes limpas, enriquecendo-o com belas imagens, com manifestações positivas, um lugar onde esses filhos possam respirar o oxigênio espiritual que há de assegurar-lhes a saúde moral.

Da mesma maneira que nenhum pai ou mãe levaria seu filho a respirar os miasmas de um pântano, porque isso implicaria um sério atentado à sua saúde física, tampouco pode oferecer-lhe – se é consciente de sua responsabilidade – o ambiente insalubre de um lar povoado por pensamentos de rixas e rancores, de mentiras e egoísmos, de cenas pouco edificantes. Nem tampouco o veneno da leitura sem prévia seleção, ou filmes e programas dos quais o filho recolha o vírus de uma imperfeição moral ou o germe de uma modalidade negativa que, na forma de pensamentos impuros, infeccionaria sua mente ainda indefesa.

Embora os pais já tenham compreendido quão necessário é, para evitar o desenvolvimento de doenças, cumprir com os preceitos de higiene que a saúde dos filhos requer, devem da mesma forma compenetrar-se da necessidade de zelar por sua higiene mental, para que eles não corram o risco de recolher os germes de outras doenças mais terríveis. Elas atacarão o organismo psicológico e irão devastando a pureza e a bondade dos filhos, perturbando sua incipiente razão e obscurecendo a consciência do bem e do mal que começa a manifestar-se.

Quando, na vida dos relacionamentos que o ser humano tem de viver, o filho precise freqüentar outros ambientes além do familiar, um novo dever se apresenta para aumentar a responsabilidade dos pais.

Se todos pensassem intensamente nesse aspecto da responsabilidade coletiva, zelariam ainda mais pela pureza, cultura e elevação de todos os ambientes criados pelos homens, já que todos podem ser chamados de pais se estão alentados por um sentimento paternal! Dessa maneira, jamais a criança, ao sair de casa, encontraria um ambiente prejudicial à sua saúde moral. A fábrica e o escritório, a escola e a universidade, a rua e o local de lazer, o livro e a imprensa, teriam então a atmosfera oxigenada e pura dos lugares ensolarados, porque todos os pais que formam esses ambientes levariam para ali a responsabilidade que tão intensamente sentiram na vida do lar.

Os pais que tanto cuidam da palavra que dirigem ao menor ou que ele possa ouvir, que selecionam com atenção as imagens que se gravam em sua delicada retina mental, procurando que ele recolha as mais belas, mais elevadas e mais puras, ao sentirem esse mesmo cuidado estender-se a todos os filhos de Deus, irmãos na grande família humana, estarão velando pela pureza e elevação do ambiente social, prolongamento do ambiente do lar.

 

Artigo publicado no periódico El Heraldo Raumsólico
Cadastra-se Projeto Cultural